Resultado do Desafio Fliptru 2
Resultado do Desafio Fliptru 2

Publicado em 12/12/2020 às 13h33

Depois de três meses de prazo para criar uma história curta com o tema HEROÍSMO, aqui estão os incríveis participantes da segunda edição do Desafio Fliptru!

Em vez de escolher apenas cinco quadrinhos para fazer um review, eu resolvi prestigiar o esforço de TODOS os envolvidos.

Cada um teve que dar o seu melhor e por isso mereceu aparecer no vídeo de encerramento do desafio.


Leia todos os quadrinhos participantes clicando aqui.

Meus sinceros agradecimentos a todos e todas que se esforçaram para fazer parte desse desafio, que não foi nada fácil, e que com isso ajudam a plataforma Fliptru a crescer e aparecer mais.

Um grande abraço e até o próximo desafio!

Marcus Beck
Quadrinista e criador da Fliptru

--

Leia abaixo a versão escrita dos micro-reviews vistos no vídeo.

Corruptópolis

Corruptópolis foi o primeiro quadrinho postado na tag #desafioFliptru2. O autor é o Darlan Alves e ele já vem arrasando com uma história fechada, mas não tão curta.

Essa HQ do Darlan nos traz um herói, meio desastrado, tentando ser um salvador em uma cidade em que os corruptos são exaltados.

O quadrinho tem um traço caricato que combina com o que é mostrado na história. A narrativa do Darlan é limpa e não deixa espaço para nos confundirmos durante a leitura, o que é ótimo para te deixar imerso.

As cores são um show a parte. A pesar de digitais, mas com uma cara e aquarela que eu curti.

E é claro que o heroísmo é abordado com primor.

Bancando o Herói

A segunda história enviada para o desafio foi Bancando o Herói, de Juliano Marques.

Uma história perturbadora com um traço que parece não estar concluído nos quadros, mas o que acaba colaborando com o tom desejado pelo autor.

Os balões em preto e disformes também ajudam a deixar o clima a história mais tenso.

O tema heroísmo também está presente com força no quadrinho.

A era da mentira

O terceiro quadrinho enviado é A Era da Mentira, do Vicenzo Alexander.

Com um acabamento bem rústico, a história nos traz o que parece ser o prólogo de uma história maior.

Um anjo protege os habitantes e uma cidade medieval de um dragão.

O tema heroísmo está presente na história do início ao fim, onde o protagonista se inspira no heroísmo do próprio povo da cidade que salva.

RB 37

O próximo quadrinho se chama RB 37 do Ailson CTS.

Eu gostei desse quadrinho pela simplicidade e também pela forma como o final nos emociona. Claro que não vou dar spoiler aqui, mas vale a pena conferir.

Um robô se sacrifica para proteger uma criança que é a única sobrevivente de um massacre em um mundo alienígena.

Mais uma vez, o tema heroísmo foi muito bem abordado no decorrer a história.

Patrulha Folclore

O próximo quartinho é Patrulha Folclore, de Johnatan Srs.

Essa é mais uma história que na verdade parece um prólogo ou apresentação e uma série maior.

A HQ não deixa claro os acontecimentos, mas apresenta de certa forma a origem de um personagem que é meio humano meio boto.

O traço e as cores são bonitos, mas tem margem para melhora em pequenos detalhes.

No final o tema de heroísmo está implícito no fato de que esta é uma história que apresenta brevemente um grupo de heróis que precisa defender os rios.

Cartas para Noel

Agora vou falar do quadrinho Cartas para Noel, de Ikaros Rodrigues.

De início a história parece um conto de natal tradicional, mas de repente as coisas escalam muito rápido para algo bem mais perturbador.

O uso do fundo no estilo “folha pautada” faz todo o sentido como um metalinguagem das cartas que estão sendo escritas pelo protagonista.

O traço varia muito de algo bem feito para algumas partes menos trabalhadas. A narrativa em algumas páginas pode nos confundir em relação ao fluxo e leitura.

O heroísmo está presente durante a história, mas acabamos deixando esse tema de lado devido à reviravolta mais perturbadora no final.

Tem algumas páginas no meio que parecem de outra HQ, não sei se eu não entendi direito o contexto delas, mas acho que foi um erro na hora de publicar as páginas na plataforma.

The Last of Chicken

Agora vou falar da HQ The Last of Chicken do Johnny Silva.

Uma paródia muda e em preto e branco do jogo The Last of Us, só que com… é… galinhas no lugar de pessoas.

Melhor resumir a história como o próprio autor a descreveu: Galinhas tentando escapar de uma granja pós-apocalíptica.

Uma das galinhas se sacrifica para que as outras consigam seu objetivo e aí encontramos claramente o tema de heroísmo.

Eu acompanho o trabalho do Johnny e gosto muito do seu traço e de sua narrativa também.

Zumbi Branco

A próxima HQ que vou comentar aqui é Zumbi Branco de Miguel Almeida.

O que eu achei mais legal dessa história é que ela foi baseada em histórias que o bisavô do Miguel contava para sua avó.

Um homem vai até uma mina abandonada e nada vê, mas quando ele usa sua magia descobre que pessoas estão sendo escravizadas por um zumbi para trabalharem na mina.

O traço no deixa um pouco confuso as vezes, assim como a narrativa, mas a história é compreensível e podemos apreciá-la tranquilamente.

O tema heroísmo também está presente na história.

Pandemia Anjos da Vida

Vou falar agora de Pandemia Anjos da Vida de Marcelo Oliveira de Souza.

Muito boa arte, narrativa e história.

Usando o estilo de narrativa vertical, o Marcelo nos apresenta uma história bonita sobre os anjos que cuidam das pessoas que estão doentes.

Não preciso nem dizer que o tema heroísmo está muito bem abordado na história.

Adorei as cores, a simplicidade bonita da história e tudo mais. Recomendo a leitura.

Dia de Jogo

A próxima história que vou falar é Dia de Jogo de João Henrique Duarte.

Duas páginas, simples e bonita.

Eu percebi alguns problemas de anatomia no desenho, mas não chega a atrapalhar a leitura dessa curta história.

O tema o heroísmo não é abordado diretamente, mas o herói está lá representado pelo pai do protagonista.

Réquiem para sapos

Vou falar agora de Réquiem para Sapos de Giuseppe Hergé.

Essa história em quadrinhos nos mostra os sapos em seu brejo. Lá um deles se destaca como o grande herói, o Papo Rosa.

O quadrinho traz três contos mostrando os atos do Papo Rosa.

A narrativa as vezes pode confundir o fluxo de leitura, mas o traço é muito interessante, lembrando ilustrações à bico-de-pena e nanquim.

A digitalização ficou rústica, não tendo um tratamento de limpeza, mas isso destacou o estilo do traço de certa forma.

Nem preciso dizer que o tema heroísmo está presente, não é?

O Herói - Nasce uma lenda!

Agora que tal falarmos de O Heróis - Nasce uma Lenda de Neto.

Uma paródia com um menino que vive em um mundo de fantasia (como todos nós quando éramos crianças) e que sonha em ser um herói.

O traço caricato e o humor dessa história combinam muito bem. 

Toda colorida e com uma narrativa bem gostosa de ler.

O tema, é claro, é abordado com primor.

A Estátua dos Olhos de Jade

O próximo quadrinho é A Estátua dos Olhos de Jade por Fernanda Selleri.

Uma arte muito bonita em um narrativa muda nos mostra a história de uma criada que encontra uma estátua de olhos de jade no depósito.

De repente a estátua começa a se mexer e a história se desenrola por aí.

Gostei da história, da arte e da narrativa, mas não identifiquei claramente o tema de heroísmo nesta história.

De qualquer forma, vale a pena a leitura.

Velozes e Furiosos Tubarões

Agora vamos falar de Velozes e Furiosos Tubarões de Damião Luiz.

Aqui conhecemos o Marinho, um herói aquático que tem que fazer uma escolha difícil para salvar um mergulhador.

A estética da história lembra os quadrinhos antigos, parecem as páginas originais de quadrinhos da década de cinquenta.

Claro que o tema de heroísmo está claro durante o enredo.

Uma Heroína para Minha Irmã

Próximo quadrinho é Uma Heroína para Minha Irmã de Emerson Monteiro.

Um quadrinho no estilo mangá, com um traço que tem margem para melhoria, mas que faz sentido para o tipo de história e a narrativa.

Duas irmãs passando por uma situação em que tem que se proteger de ladras.

Claro que o tema heroísmo é abordado e de uma forma engraçada.

Não Desista

Vamos falar de Não Desista de Douglas Alves.

A história conta a jornada de Sam que está atrás de um cristal para provar seu valor para seu vilarejo.

Acredito que o tema de heroísmo está intrínseco na questão da jornada para se provar, mas não ficou extremamente claro.

O legal foi o desafio de contar uma história muda, que sempre é um desafio.

Urubu

Agora é a vez de Urubu de Daniel Frans.

Aqui parece uma história de origem de super-herói.

A arte ainda está em um nível bem inicial e a finalização não chegou a ser completa. Mas está no caminho para criar um super-herói brasileiro.

O tema heroísmo está claro durante o enredo.

Heroísmo por contrato

Chegou a hora de falar sobre Heroísmo por contrato, do Macallael.

Athéi é uma personagem que já conheço, pois o Macallael foi meu aluno no HQ na Prática e eu adorei poder vê-la em ação mais uma vez.

Essa história aborda bem o tema de heroísmo, mas com aquele tom de interesse por traz.

Com uma arte em evolução e uma narrativa que precisa deu um pouco mais de dinamismo, essa história é divertida de se ler.

Bigodes e Augusto em O Plano

Agora vamos para Bigodes e Augusto: O Plano de Remy Branco.

Nessa divertida história no melhor estilo gibi infantil, mas com uma pegada bem mais adulta, conhecemos Bigodes e Augusto tentando um plano que não parece que vai dar muito certo.

O traço é caricato e feito à mão. Combina muito bem com a história.

Claro que o tema de heroísmo está lá.

Mulheres de Aço

Chegou a vez de Mulheres de Aço de Eliete Rossi.

Uma HQ de uma página que fala sobre Maria Felipa de Oliveira uma heroína da história da Bahia.

Parece que a Eliete vai trabalhar em mais HQs sobre estas mulheres que foram heroínas, mas que a história não faz questão de lembrar.

Tem poucos quadros pra falar da arte, mas eu penso que ela conversa bem com o estilo da história em si.

Nem preciso falar que o tema foi bem abordado.

Valente

O próximo quadrinho é Valente de Marcos Goes.

Eu gostei bastante da arte e da narrativa. É uma história quase toda muda e que expressa muito bem o que os personagens estão sentido.

Eu só achei o espaçamento entre os quadros no começo muito grande, mesmo para a narrativa vertical. Mas não atrapalha a leitura não, apenas quebra um pouco o ritmo.

Essa HQ conta a história de um garoto que perdeu o pai e que acaba tendo os quadrinhos como uma forma de se animar novamente.

Os desenhos, as cores e principalmente o quão emocionante a história é valem muito a pena. Recomendo!

O amor de um herói

Agora chegou a hora de falar de O amor de um herói por Elton Silva dos Santos.

Esta HQ conta brevemente a história de Jesus e traz o heroísmo do amor como tema forte.

A arte e a narrativa são boas, mas um pouco duras ainda. Dá pra deixar mais dinâmico e fluído.

Breads on Fire - Dério

Agora vou falar de Breads on Fire - Dério, um spinoff da série Breads on Fire publicada na Fliptru por Lucas Jefrey.

Dério é o professor de química e um herói tanto para lutar contra monstros como para preparar o futuro do mundo.

Com uma arte bem rústica, aparentemente feita com caneta esferográfica, a história tem uma boa narrativa, mas as vezes tem texto demais em cada quadro, o que pode interferir num bom fluxo de leitura.

Ali está claro o tema heroísmo.

Por pouco!

O próximo quadrinho é Por Pouco de Davi Cavalcante.

A história usa a narrativa vertical de uma boa maneira e tem uma forma bem legal de abordar o tema do heroísmo.

O traço é simples, mas a mensagem é passada com primor.

Rental Hero

Agora chegou a vez de Rental Hero de Vinicius Soaresu.

Nesta história os personagens são heróis por um preço, apesar de eu notar que eles não foram pagos depois do serviço.

A narrativa é legal e a arte ainda pode melhorar um pouco, mas é uma aventura divertida de ler.

O tema heroísmo está presente, obviamente.

Like save

O próximo quadrinho é o Like Save de Luiz Henrique.

Uma história simples de uma pessoa normal que salva outra em uma segunda-feira.

O traço ainda tem pontos de melhora e a narrativa as vezes pode fazer com que o leitor se perca na leitura.

Vale a pena dar uma lida para se divertir.

Sangue de passarinho

Vamos falar de Sangue de Passarinho de Teatro Psiquê.

Uma história bem poética que fala sobre as máscaras que usamos na vida. O traço é bem sujo, mas faz sentido com o tema da história.

Só não consegui identificar exatamente o tema heroísmo durante a leitura.

Trovão Amazônico

Chegou a vez de Trovão Amazônico de Helder Belem.

Uma história baseada na série The Flash, mas imaginada em Manaus.

Achei interessante a relação dos personagens, mas senti que eles parecem meio diferentes em alguns quadros.

No geral tem boas cores e um enredo divertido.

Claro que o tema heroísmo está presente.

Estrada

Agora vamos falar de Estrada de Diogo Netto.

O Diogo nos trouxe uma espécie de tirinha com uma metalinguagem muito interessante, abordando o tema heroísmo de uma forma bem diferente, não tão explícita.

Gostei do estilo diferente, mais cartum, da tira e também da simplicidade e mensagem da história.

TAIKA - Amor e fidelidade

O próximo quadrinho é TAIKA - Amor e fidelidade de Alex Cruz.

Histórias com cachorros me pegam, viu…

Eu gostei da arte e da narrativa. Senti que em alguns momentos os textos eram demais o que prejudicou um pouco o fluxo de leitura, mas não chega a atrapalhar a emocionante história.

A Taika é uma cachorrinha que quer salvar seu dono, ou seja, uma heroína. Está aí o tema abordado com primor.

Uchi Mi

Vamos falar de Uchi Mi de Bruno Assad.

Esta história é toda narrada e tem uma arte meio dura, mas com ótimas cores e um bom potencial.

A narrativa também é pouco dinâmica, mas me prendeu do começo ao fim mesmo assim.

Conta a história de um grande herói, então aí está o tema heroísmo.

Paradoxo

O próximo quadrinho é Paradoxo de Yala Arwela.

Um enredo completo de traição, morte, ressureição, magia… muito interessante.

O tema heroísmo também está lá e gostei muito do “paradoxo” abordado na história.

Minha única crítica é que a maior parte da história é explicada pelos personagens e não mostrada aos leitores, o que pode ser um pouco maçante.

Às compras!

Agora vamos falar da história curta da Grazielle Gomes, Às Compras!

Nesta história ela aborda o ato de heroísmo que é ajudar ao pessoal do grupo de risco durante essa pandemia.

Eu gostei da narrativa porque ela é traz as emoções certas nas horas certas e a arte da Grazielle já é bem característica.

Qual é o seu nome?

O próximo é Qual é o seu nome? de Bruno Farias e Mario Cesar.

Nesta história de duas páginas, Mario nos conta uma história real sobre a primeira guerra mundial.

Com uma narrativa bem clássica e uma boa arte.

Foi muito bem pensado pensar que este heroísmo da história pode não ter sido tão bom assim para o futuro.

Coe, O Samurai Coelho

Chegou a hora de falar de Coe, O Samurai Coelho de Filipe Oliveira.

Coe aborda heroísmo de uma forma bem poética.

Tem um traço bem bonito e uma narrativa que faz com que você flua tranquilamente entre as páginas.

Gostei!

O que é um Herói?

Estamos na reta final agora, a penúltima história para falarmos é O que é um Herói de Vinicius Cabral.

Eu gostei bastante do estilo diferente da arte, com linhas parciais.

A narrativa também tem um bom fluxo, mas as vezes ficou um pouco cansativa pelo excesso de acontecimentos em lugares diferentes sem um posicionamento, uma localização, do leitor na cena.

O tema do heroísmo e também da pandemia estão presentes na história.

Bizarre Hero

E o último quadrinho participante é Bizarre Hero de Victor Brendan.

Confesso que não entendi bem a história de duas páginas, mas certamente tem o tema do herói envolvido.

Apesar da confusão, que pode ser apenas minha, a arte tem seu charme.

Conheça o desafio de quadrinhos!
Conheça o desafio de quadrinhos!

Participe do desafio de quadrinhos e tenha seu trabalho divulgado em …

A segunda edição do Desafio Fliptru!
A segunda edição do Desafio Fliptru!

Oi, aqui é o Marcus Beck e queria contar para vocês que começou a val…


Carregando comentários...