Rotina japonesa e padrões cerebrais: Como organizei meu tempo de trabalho para produzir mais rápido!
Rotina japonesa e padrões cerebrais: Como organizei meu tempo de trabalho para produzir mais rápido!

Publicado em 18/10/2020 às 12h07

Antes de tudo: Olá, me chamo Pedro Barreto, autor da webcomic Bronze Skin Inc, trabalho com quadrinhos a dois anos, então quero deixá-los ciente que durante toda essa minha experiência que descreverei, eu estava desempregado, então não tinha que dividir meu tempo com um trabalho, na verdade, voltei aos quadrinhos exatamente por isso!

Quando era mais novo, e ainda desenhava mangá, eu tinha o sonho de produzir uma série regular, com um intervalo de tempo que não fosse longo o bastante para não perder o interesse do leitor, e que ainda assim tivesse uma história completa e fechada dentro. Como eu simplesmente tenho dificuldade extrema em fazer histórias curtas, precisava aprender a produzir rápido e com alguma qualidade.

Desde de então eu me dediquei a estudar como produzir com velocidade durante anos, e venho nesse texto mostrar a vocês o que eu conclui, longe de querer me portar como professor, e sim como apenas mais um aprendiz querendo compartilhar o que apreendeu.

Se eu queria me sustentar com quadrinhos, precisaria produzir mensalmente, já que é a frequência em que as contas vem. Então tive que estruturar todo o processo de criação de um quadrinho de 30 páginas coloridas em 1 mês. Fui pesquisar produtores de quadrinhos rápidos, o que me levou novamente ao Japão, com suas séries que são feitas semanalmente (ao custo da saúde de seus desenhistas, muitas vezes )

Linha de montagem, os mangas são feitos em etapas, dividi-os entre diferentes profissionais especializados, enquanto um profissional coloca as retículas em um capítulo, outro profissional já desenhava o próximo capítulo. Então eu tinha que simular essa linha de produção com apenas uma pessoa. Em vez de dividir entre diferentes funcionários, eu dividi em dias. Então inicialmente eu dividi entre lineart e coloração, Primeiro eu fazia o lineart, e depois coloria.

Porem, ainda assim, a produção não estava na velocidade que eu queria, então tentei várias estratégias, ate encontrar uma que funcionasse.

Acontece que o cérebro humano é extremamente padronizado, ele identifica padrões e trabalha em cima deles a todo momento, e quanto mais padronizada for uma ação, mais automática e rápida ela será feita. Quando o cérebro se concentra em seus padrões internos sem nenhuma quebra externa, ele entra no estado de “fluxo”, se envolvendo com o que faz de tal forma, que seu exterior deixa de existir, e apenas o que está fazendo importa, resultando em um aumento no desempenho e velocidade do que se faz.

Se chegar nesse estado de fluxo se tornou um objetivo pra mim, e eu notei os meus próprios padrões, e trabalhei em cima deles. Vou exemplificar: Você está desenhando uma página no digital, num estado de fluxo, fazendo todas as linhas em um impulso altamente criativo, mas em algum momento, você precisa trocar de ferramenta, ou de camada, ou ate de página, e precisa quebrar esse padrão mental de fluxo com uma decisão consciente. Quando isso acontece , se demora um pouco pra atingir o nivel de “fluxo” que se estava antes.

A percepção humana classifica as imagens que vemos antes que as percebamos conscientemente entre cenário e personagens:: O cenário é o fundo, onde acontece a trama, onde os personagens podem agir, onde as mudanças nele impactam brutalmente os personagens. E os próprios personagens, viventes no cenário, finitos visualmente, conscientes e tomadores de decisões, que podem ou não impactar o cenário.

Então me foquei nessa divisão, desenhar cenário e depois personagens e assim ficou: Primeiro eu desenhava o lineart dos cenários, depois o lineart dos personagens, depois então coloria os cenários, e depois os personagens. Depois com o tempo, fui estudando sombreamento, e fiz mas uma etapa de produção.

Então eu finalmente consegui produzir uma história em quadrinhos, de 30 páginas, colorida, em um mês. Nessa época, era apenas material adulto pornográfico, para pagar minhas contas, mas cheguei a um ponto que consegui agilizar tanto o processo, que fazia a mesma história em 15 dias. Foi ai que eu vi que me sobrava tempo para fazer um segundo título não pornográfico ( mesmo que ainda com fan-service, para não perder meu antigo publico), e assim consigo hoje, produzir duas histórias em quadrinhos de 30 páginas coloridas por mês, apesar que devo deixar bem claro, que isso SIM compromete de algum modo a qualidade, mas eu preferi escolher a essa frequência de produção pra poder cumprir com minha meta de produzir uma série que as pessoas possam acompanhar todo mês!

Mas esse é apenas um dos inúmeros métodos de produção de quadrinhos que a humanidade pode gerir, muitas pessoas desenvolvem seus métodos próprios, e eu adoraria conhece os de vocês, deixem nos comentários e vamos trocar figurinhas ! o/

Indicação de leitura #01
Indicação de leitura #01

Olá! Tudo bom minha gente?! Sabia que tem muito quadrinho bom aqui na…

A sina de SINA - O primeiro obstáculo
A sina de SINA - O primeiro obstáculo

Saudações, pessoal.Voltamos com mais uma etapa dessa jornada que mudo…

A sina de SINA - A Estratégia
A sina de SINA - A Estratégia

Saudações. Sou Ednaldo Alves, autor de histórias em quadrinhos como S…


Carregando comentários...